Endereço x 123456
Empreendedorismo

O termo startup tem revolucionado o mercado nos últimos anos, porém muitos empreendedores ainda ficam em dúvida quando o assunto é classificar e definir esse modelo de negócio. 

 

No artigo de hoje tiraremos as principais dúvidas sobre o tema e explicar um pouco mais sobre esse universo. Vamos lá?

O que é uma startup?

A definição de startup ainda é um pouco confusa e nebulosa. Por ser um mercado em expansão e um modelo de negócio relativamente novo, existem diversos conceitos na hora de definir o que é uma startup.

Alguns optam por observar o status financeiro de uma empresa. Outros, seus canais de aquisição. 

Entretanto, de modo geral, há um consenso que classifica uma startup como uma empresa de baixo capital inicial com um modelo de negócio escalável e inovador. 

Isso quer dizer que a estrutura da uma organização precisa crescer em uma grande velocidade, acima de duas vezes por ano e continuar crescendo para ser classificada como uma startup.

De onde surgiu o termo startup?

O termo startup surgiu em meado dos anos 90, durante a época conhecida como “bolha da internet”. Seu conceito evoluiu ao longo dos anos e foi se popularizando, principalmente na última década. 

Com a crise financeira em 2008, o capital de investimento para novos negócios estava escasso e os juros altíssimos. A falta de capital e a popularização da internet fez com que diversos empreendedores encontrassem na internet e no modelo de startup um meio barato e inovador de iniciarem seus empreendimentos. 

Facebook, Amazon e Netflix são exemplos de startups de sucesso que auxiliaram na popularização do termo. 

Quando uma empresa deixa de ser uma startup?

Startups tendem a ser vistas até hoje como empresas de garagem, com poucos funcionários e uma estrutura caótica organizacional. Porém, isso nem sempre representa a realidade.

Existem alguns empreendedores e estudiosos do ramo que definem que uma empresa deixa de ser uma startup quando atinge o break even, ou seja, a estabilidade financeira, quando a receita supera os custos e a organização passa a lucrar. 

Porém, diversas empresas que já ultrapassaram o break even e a margem dos 200 funcionários ainda se classificam como startups, como é o caso da Méliuz A empresa mineira diz que seu modelo de negócio ainda é de uma startup, por isso prefere ser intitulada assim.

Outras, como é o caso do VivaReal, optam por não serem mais reconhecidas como startups por acreditarem que essa classificação diminui a credibilidade de uma empresa. 

Uma startup pode deixar de ser startup por dois motivos: 

  1. Quando seu modelo de negócio não é mais escalável;

  2. Quando a empresa passa a não se reconhecer como uma.

Empreendedorismo digital e startup são a mesma coisa?

Não necessariamente. De fato, diversas startups se encontram no meio digital, uma vez que a aquisição de consumidores pela internet é mais barata e democrática. Além disso, grande parte das startups oferece um produto digital, o que acaba fazendo com que ela estruture seu modelo de negócio de forma online. 

Entretanto, não é um pré-requisito estar presente no meio digital para ser considerada uma startup. 

Inclusive, existem startups que mesclam o meio físico com o digital, assim como existem outras que atuam no meio digital e acabam migrando para o físico. Um exemplo é a Printi, que anunciou em 2019 que abrirá mais de 100 lojas pelo Brasil. 

Além disso, nem todo empreendedorismo digital envolvem startups. Grandes e-commerces, como as Casas Bahia, resultou de uma migração da grande franquia de lojas físicas para o meio digital. 

Como se preparar para um ambiente de startups

O ambiente de startups é, de fato, muito desafiador. Muita coisa acontece ao mesmo tempo, principalmente nos primeiros anos de empreendimento. Por esse motivo é preciso estar bastante preparado para atuar em uma dessas empresas. 

Isso porque, além das habilidades técnicas necessárias para atuar em uma startup, é preciso ser um profissional multidisciplinar e procurar desenvolver as chamadas soft skills

As soft skills são conhecidas como habilidades relacionadas ao seu comportamento como profissional. 

Uma dica de ouro para desenvolver tantos conhecimentos em um curto espaço de tempo é aproveitar uma das grandes funcionalidades da internet: cursos online

Os cursos a distância são ferramentas muito boas para criar uma rotina de estudos diária. Através deles é possível adquirir diversos tipos de aprendizados, principalmente soft skill. Cursos EAD de liderança ou gestão de pessoas, por exemplo, podem agregar em sua formação profissional e fazer com que você se destaque no mercado. 

Além disso, os cursos online com certificado podem fazer uma diferença grande em seu currículo, o que soma pontos no quesito multidisciplinaridade. Um profissional da área de design que faz cursos de programação front-end, por exemplo, e tem a comprovação desse conhecimento, com certeza se destaca no mercado de trabalho.

Porém, é preciso ficar atento. Embora cursos online grátis sejam uma opção atraente pelo aparente baixo custo, nem sempre eles oferecem conteúdo de qualidade. Por isso, é importante escolher um bom portal, que seja referência do mercado e ofereça os melhores cursos online

Mindset de startups

O mindset de uma startup é um pouco diferente do que estamos acostumados a observar em modelos de negócios tradicionais. Isso porque uma empresa que cresce em um ritmo acelerado não sobrevive a certos mecanismos de gestão. 

A estrutura de processos, por exemplo, costuma ser menos burocrática e exigir menos etapas, a fim de economizar tempo na tomada de decisão. 

Além disso, a estrutura de organização horizontal tem um propósito maior do que princípios culturais. Ele permite maior autonomia aos funcionários de uma empresa para tomar decisões rápidas e agilizar processos, o que também é fundamental em um ambiente acelerado. 

Outro diferencial são as lideranças em startups, que costumam ser mais jovens que em empresas tradicionais. Isso porque a experiência com o produto e a agilidade com a tecnologia da empresa apresentam maiores diferenciais do que a experiência de mercado ou formação profissional em sim. 

De modo geral, startups funcionam em um mecanismo próprio, que tem tanto vantagens como desvantagens. É preciso entender, acima de tudo, quais os valores e qual estrutura organizacional o empreendedor deseja criar, para então definir se o modelo de startups é ideal para seu negócio ou não. 

E então, gostou do artigo? Comenta aqui embaixo a sua opinião!


Este artigo foi escrito pela educamundo.com.br

0

Gestão

Hoje em dia, diversas ferramentas tecnológicas são utilizadas em pequenas, médias e grandes empresas para aprimorar a organização e otimizar processos. 


Seja em relação à comunicação interna, à gestão de projetos e equipes, à gestão de diferentes setores empresariais e ao relacionamento com os clientes, tenha certeza de que há uma tecnologia específica que pode ser usada em seu negócio.


Neste artigo, vamos conhecer 5 ferramentas tecnológicas essenciais. Continue a leitura para saber mais!



1. Slack

O Slack pode ser definido como um software de colaboração que melhora a comunicação interna e externa e, consequentemente, aumenta a produtividade das equipes.

 

Com esse sistema, os colaboradores trabalham em canais que centralizam os arquivos trocados, as mensagens enviadas e as ferramentas integradas. É possível criar um canal para cada necessidade do negócio (projetos, atendimento, feedbacks, anúncios etc.), incluindo até mesmo pessoas de fora (como clientes e fornecedores), o que facilita a comunicação.

Dá para:

– Fazer chamadas de voz e de vídeo;
– Compartilhar documentos;
– Conectar ferramentas aos canais, como Google Drive, Dropbox, Salesforce, entre outras.

2. Ferramenta para gestão de projetos e equipes

 

Quando se trata de gestão de projetos e equipes, a plataforma do Trello é uma das mais utilizadas. A organização se dá por meio de quadros, listas de tarefas e cartões personalizáveis.

 

É possível, por exemplo, criar um quadro para as tarefas semanais da empresa com as listas “A fazer”, “Em andamento” e “Finalizadas” e fixar cartões com os detalhes de cada tarefa, especificando o colaborador responsável pela execução. 

 

Dessa forma, se torna muito fácil para o gestor verificar o andamento das atividades e o desempenho de cada funcionário, pois é só abrir o quadro e verificar o que já foi feito: confira uma lista de quadros inspiradores. Para facilitar ainda mais a gestão de projetos, o Trello permite a integração com outros aplicativos.

 

3. Software de gestão empresarial online

 

Também conhecido como sistema ERP, esse software auxilia a gestão dos departamentos empresariais, como o financeiro, de compras, de vendas e de estoque. Por ser integrado e centralizar os dados em um só sistema, o ERP dispensa o uso de planilhas para controlar e armazenar dados, assim automatizando e facilitando todo o processo de gestão.

 

Quer um exemplo?


Quando fornecedores entregam mercadorias, os colaboradores podem registrar no ERP o tipo e a quantidade de itens, que então são contabilizados no estoque. A partir daí, a cada venda realizada o produto é descontado automaticamente do estoque, sendo que todas as informações da transação permanecem armazenadas no sistema e podem ser utilizadas, posteriormente, para gerar relatórios gerenciais.

 

Além disso, o gestor tem controle em tempo real sobre:

– Orçamentos;
– Ordens de serviço;
– Fluxo de caixa;
– Pagamentos e recebimentos;
Emissão de notas fiscais eletrônicas e boletos bancários.

 

4. Software de CRM

 

Trabalhar com a gestão dos consumidores é fundamental para empresas que desejam encantá-los e fidelizá-los, principalmente se utilizam estratégias de marketing digital. E é aqui que entra o software de CRM.

 

A sigla CRM se refere a Customer Relationship Management, ou seja, Gestão de Relacionamento com o Cliente. É um sistema que auxilia o monitoramento de clientes ou clientes em potencial por meio da coleta e armazenamento de informações de cada interação.

 

Os recursos variam de sistema para sistema, mas geralmente é possível:



       -Ter o controle dos dados dos prospects, como nome, e-mail e telefone;
       -Acompanhar e registrar detalhes das ligações com as equipes de atendimento;
       -Encaminhar leads (clientes em potencial) ao time de vendas.

Isso ajuda os vendedores na criação de estratégias: dá para saber para quais pessoas ligar, quando ligar e quais produtos oferecer.

 

5. Typeform

 

Uma das ferramentas tecnológicas mais importantes quando se trata de coleta de dados, o Typeform consiste em um formulário de pesquisas online que permite gerar questionários e coletar informações para diferentes fins, como:


-Entender o nível de satisfação dos clientes;
-Testar a viabilidade de alguma ideia;
-Saber como o seu público-alvo reagiria a um novo produto ou serviço.


Dá para escolher o template a ser utilizado, criar perguntas personalizadas (inclusive de avaliação) e coletar e-mails, entre outros recursos.

 

Enfim, neste artigo vimos algumas ferramentas tecnológicas essenciais para o seu negócio. Como você pôde perceber, cada uma delas têm uma finalidade diferente, mas todas são úteis quando se trata de organizar processos e melhorar o desempenho da sua empresa.

 

E então, gostou deste post? Sabemos que as ferramentas vistas acima são importantes, mas quem deseja alcançar o sucesso também precisa cultivar boas atitudes, não é? Confira agora o que os hábitos de empreendedores de sucesso podem ensinar!

0

Gestão pessoal, Sem categoria

Se existe um recurso difícil de gerenciar, é o tempo.

Todo mundo têm a mesma cota de tempo diária: 24 horas!

Por isso, a otimização do tempo no trabalho é fundamental para que você atinja os níveis de produtividade que sua empresa deseja e faça suas entregas no prazo e com qualidade.

Neste post, selecionamos 4 dicas de como fazer a gestão e administração do tempo. Leia e aplique em sua empresa.


4 dicas de gestão do tempo e produtividade no trabalho

1- Como priorizar tarefas

A gestão do tempo e produtividade no trabalho deve começar pela priorização de tarefas.

Afinal, dedicar um longo tempo a uma tarefa não prioritária e depois descobrir que não terá como fazer algo realmente urgente e importante é uma péssima forma de como fazer a gestão e administração do tempo.

Para evitar isso, utilize a matriz de Eisenhower, classificando suas tarefas como “urgentes” e “importantes”. Em seguida, siga estas regras:

  • Urgente e importante: faça você mesmo, agora.
  • Urgente, mas não é importante: delegue a tarefa para alguém de confiança (se não puder delegar essa tarefa, faça depois das anteriores).
  • Importante, mas não é urgente: marque em sua agenda quando poderá fazer essa tarefa.
  • Nem urgente nem importante: esqueça dessa tarefa


Selecionamos alguns vídeos da Endeavor sobre gestão e administração do tempo. Dê uma olhada neste:

 




2- Como gerenciar e-mails

Um dos maiores ladrões de tempo é o e-mail. Já pensou quanto tempo você passa brigando com sua caixa de entrada? Deletando mensagens inúteis, marcando spam e respondendo e-mails que, no fundo você nem deveria ter recebido?

Uma pesquisa da consultoria McKinsey mostrou que as pessoas passam em média 28% do seu tempo no trabalho gerenciando e-mails.

É um desperdício muito grande.

A dica é: fuja do seu e-mail!


Veja algumas sugestões de como fazer isso:

  • Não transforme sua caixa de e-mail em uma lista de tarefas;
  • Se seu e-mail tem mais de 4 linhas, talvez seja melhor discutir o assunto de outra maneira;
  • Evite enviar e-mails em cópia para muitas pessoas, selecione quem realmente precisa receber aquela mensagem; 
  • Se seu e-mail se transformar em uma trilha de mais de 4 ou 5 mensagens, é sinal de que esse canal de comunicação não está funcionando para aquele assunto;
  • Troque a comunicação via e-mail por outras, mais ágeis, como o Slack, por exemplo.


Saiba mais:
Slack está matando o email! Saiba porque isto é ótimo para a produtividade da sua empresa

Veja mais dicas de gestão do tempo e produtividade no trabalho ao usar e-mail, neste vídeo da Endeavor:




3- Como gerenciar reuniões

Reuniões muitas vezes se tornam uma perda de tempo em meio ao seu dia. Você deixa de fazer algumas tarefas importantes para participar de reuniões que acabam não dando em nada.

Veja algumas regras de como fazer uma reunião de trabalho funcionar adequadamente:

  • Defina uma pauta da reunião deixando bem claro quais assuntos serão tratados e envie previamente aos participantes;
  • Não faça reuniões com mais de uma hora;
  • Marque um horário, avise com ao menos 3 dias de antecedência e não tolere atrasos: 10 minutos depois que a reunião começou, ninguém mais entra;
  • Proíba que celulares fiquem ligados durante a reunião. De preferência, devem ficar em uma sexta, fora da sala;
  • 15 minutos antes do final da reunião deve ser feito um resumo do que foi discutido, delegadas as tarefas de cada um, com datas de entrega, e tudo isso deve ser registrado em uma ata, que será enviada a todos os participantes.


Em mais este vídeo da Endeavor, você confere mais dicas úteis de gestão e administração do tempo que pode aplicar na hora de organizar reuniões: 




4- Como automatizar tarefas repetitivas

Já atualizou sua planilha de custos hoje? E os dados do ERP, já foram digitados na ferramenta? Ah, e a lista de disparo de e-mails para a newsletter, já está pronta?

Tarefas chatas e repetitivas não são apenas desmotivadoras. Elas consomem um tempo precioso que você não tem a perder. É um esforço que poderia ser direcionado para outras atividades.

E por mais que você use aplicativos de gestão do tempo em projetos, como o Trello, Asana e até planilhas do Google Sheets, sempre há alguma coisa que você poderia deixar de fazer, se essa tarefa fosse automatizada.

Por exemplo: se você trabalha com um CRM e com automação de marketing, pode ser que envie um e-mail de agradecimento para todo cliente que faz uma compra.

Então, sempre que um negócio é fechado em seu CRM, pega os dados desse cliente e digita em sua ferramenta de automação de marketing.

Chato, demorado e repetitivo…

Mas e se isso fosse feito automaticamente? Com certeza isso facilitaria a gestão do tempo e produtividade no trabalho para você: negocio fechado no CRM? Automaticamente os dados do cliente vão para seu sistema de automação de marketing.

Pois você pode fazer isso em menos de 2 minutos (sem entender nada de programação) usando integrações entre ferramentas que trabalham na nuvem.

A Pluga criou centenas delas, prontinhas para usar em sua empresa, envolvendo as mais diversas ferramentas, como meios de pagamento digital (PagSeguro, por exemplo), Slack, RD Station, ContaAzul, Google Forms e muitos outros.

Veja a lista completa aqui: Automatização de Tarefas.

E aí? Que achou dessas 4 dicas de gestão do tempo e produtividade no trabalho? Analise as que mais podem te ajudar e comece a empregá-las o quanto antes. Você vai ver que, dessa forma, a gestão e administração do tempo no seu dia a dia vai ser muito mais fácil!



* Este post foi escrito por
Diego Minone, CMO da Pluga

 

0