Endereço x 123456
Gestão pessoal, Sem categoria

Se existe um recurso difícil de gerenciar, é o tempo.

Todo mundo têm a mesma cota de tempo diária: 24 horas!

Por isso, a otimização do tempo no trabalho é fundamental para que você atinja os níveis de produtividade que sua empresa deseja e faça suas entregas no prazo e com qualidade.

Neste post, selecionamos 4 dicas de como fazer a gestão e administração do tempo. Leia e aplique em sua empresa.


4 dicas de gestão do tempo e produtividade no trabalho

1- Como priorizar tarefas

A gestão do tempo e produtividade no trabalho deve começar pela priorização de tarefas.

Afinal, dedicar um longo tempo a uma tarefa não prioritária e depois descobrir que não terá como fazer algo realmente urgente e importante é uma péssima forma de como fazer a gestão e administração do tempo.

Para evitar isso, utilize a matriz de Eisenhower, classificando suas tarefas como “urgentes” e “importantes”. Em seguida, siga estas regras:

  • Urgente e importante: faça você mesmo, agora.
  • Urgente, mas não é importante: delegue a tarefa para alguém de confiança (se não puder delegar essa tarefa, faça depois das anteriores).
  • Importante, mas não é urgente: marque em sua agenda quando poderá fazer essa tarefa.
  • Nem urgente nem importante: esqueça dessa tarefa


Selecionamos alguns vídeos da Endeavor sobre gestão e administração do tempo. Dê uma olhada neste:

 




2- Como gerenciar e-mails

Um dos maiores ladrões de tempo é o e-mail. Já pensou quanto tempo você passa brigando com sua caixa de entrada? Deletando mensagens inúteis, marcando spam e respondendo e-mails que, no fundo você nem deveria ter recebido?

Uma pesquisa da consultoria McKinsey mostrou que as pessoas passam em média 28% do seu tempo no trabalho gerenciando e-mails.

É um desperdício muito grande.

A dica é: fuja do seu e-mail!


Veja algumas sugestões de como fazer isso:

  • Não transforme sua caixa de e-mail em uma lista de tarefas;
  • Se seu e-mail tem mais de 4 linhas, talvez seja melhor discutir o assunto de outra maneira;
  • Evite enviar e-mails em cópia para muitas pessoas, selecione quem realmente precisa receber aquela mensagem; 
  • Se seu e-mail se transformar em uma trilha de mais de 4 ou 5 mensagens, é sinal de que esse canal de comunicação não está funcionando para aquele assunto;
  • Troque a comunicação via e-mail por outras, mais ágeis, como o Slack, por exemplo.


Saiba mais:
Slack está matando o email! Saiba porque isto é ótimo para a produtividade da sua empresa

Veja mais dicas de gestão do tempo e produtividade no trabalho ao usar e-mail, neste vídeo da Endeavor:




3- Como gerenciar reuniões

Reuniões muitas vezes se tornam uma perda de tempo em meio ao seu dia. Você deixa de fazer algumas tarefas importantes para participar de reuniões que acabam não dando em nada.

Veja algumas regras de como fazer uma reunião de trabalho funcionar adequadamente:

  • Defina uma pauta da reunião deixando bem claro quais assuntos serão tratados e envie previamente aos participantes;
  • Não faça reuniões com mais de uma hora;
  • Marque um horário, avise com ao menos 3 dias de antecedência e não tolere atrasos: 10 minutos depois que a reunião começou, ninguém mais entra;
  • Proíba que celulares fiquem ligados durante a reunião. De preferência, devem ficar em uma sexta, fora da sala;
  • 15 minutos antes do final da reunião deve ser feito um resumo do que foi discutido, delegadas as tarefas de cada um, com datas de entrega, e tudo isso deve ser registrado em uma ata, que será enviada a todos os participantes.


Em mais este vídeo da Endeavor, você confere mais dicas úteis de gestão e administração do tempo que pode aplicar na hora de organizar reuniões: 




4- Como automatizar tarefas repetitivas

Já atualizou sua planilha de custos hoje? E os dados do ERP, já foram digitados na ferramenta? Ah, e a lista de disparo de e-mails para a newsletter, já está pronta?

Tarefas chatas e repetitivas não são apenas desmotivadoras. Elas consomem um tempo precioso que você não tem a perder. É um esforço que poderia ser direcionado para outras atividades.

E por mais que você use aplicativos de gestão do tempo em projetos, como o Trello, Asana e até planilhas do Google Sheets, sempre há alguma coisa que você poderia deixar de fazer, se essa tarefa fosse automatizada.

Por exemplo: se você trabalha com um CRM e com automação de marketing, pode ser que envie um e-mail de agradecimento para todo cliente que faz uma compra.

Então, sempre que um negócio é fechado em seu CRM, pega os dados desse cliente e digita em sua ferramenta de automação de marketing.

Chato, demorado e repetitivo…

Mas e se isso fosse feito automaticamente? Com certeza isso facilitaria a gestão do tempo e produtividade no trabalho para você: negocio fechado no CRM? Automaticamente os dados do cliente vão para seu sistema de automação de marketing.

Pois você pode fazer isso em menos de 2 minutos (sem entender nada de programação) usando integrações entre ferramentas que trabalham na nuvem.

A Pluga criou centenas delas, prontinhas para usar em sua empresa, envolvendo as mais diversas ferramentas, como meios de pagamento digital (PagSeguro, por exemplo), Slack, RD Station, ContaAzul, Google Forms e muitos outros.

Veja a lista completa aqui: Automatização de Tarefas.

E aí? Que achou dessas 4 dicas de gestão do tempo e produtividade no trabalho? Analise as que mais podem te ajudar e comece a empregá-las o quanto antes. Você vai ver que, dessa forma, a gestão e administração do tempo no seu dia a dia vai ser muito mais fácil!



* Este post foi escrito por
Diego Minone, CMO da Pluga

 

0

Gestão pessoal

Os hábitos de empreendedores de sucesso mostram uma coisa que muita gente já desconfiava: o sucesso não vem por acaso e não é resultado, apenas, de trabalho duro.

O modo de agir, o método de trabalho e, até, o modo de pensar e ver cada situação, contribuem para o sucesso das maiores mentes do empreendedorismo mundial.

Como para cada caminho existe um mapa e para todo resultado existe um método, para a conquista do sucesso não pode ser diferente.


Cada empreendedor de sucesso traçou o seu próprio caminho para o sucesso mas muitos passos foram parecidos, ou mesmo, igual a de outros empresários bem-sucedidos.

Isso nos mostra que resultados parecidos exige técnicas e práticas semelhantes. Por isso, a gente separou neste artigo, algumas dicas dos hábitos de empreendedores de sucesso: para que você possa observar o que funciona para você e para sua empresa e para que possa fazer uma correção de rota, caso tenha traçado um caminho que vai dar em um resultado diferente do sucesso.

 

Observe a seguinte citação:

O início de um hábito é como um fio invisível, mas a cada vez que o repetimos o ato reforça o fio, acrescenta-lhe outro filamento, até que se torna um enorme cabo, e nos prende de forma irremediável, no pensamento e ação.  Orison Swett Marden

 

Você mesmo consegue perceber a verdade nesta frase, não é? Nossos hábitos definem quem a gente é no dia a dia. Os resultados deles também.

Não seria muito melhor se a gente adotasse somente hábitos que nos levam ao sucesso?




Hábitos de empreendedores de sucesso: veja as melhores dicas

 

Ao invés de selecionar dicas com os hábitos dos empreendedores de sucesso focadas em estilo de vida, mostrando como eles levam a vida fora da empresa a gente preferiu separar somente dicas práticas.

 

São dicas que você pode aplicar no cotidiano da sua empresa ou praticar em função da produtividade e dos resultados do seu negócio. Vamos às dicas:

     

    Empreendedores de sucesso administram bem seu próprio dinheiro


Esta dica parece óbvia mas poucos empresários se dão conta de que devem cuidar das suas finanças mesmo quando já estão ganhando muito dinheiro. O
controle financeiro deve ser a parte mais importante de uma vida focada no sucesso já que sem recursos monetários fica impossível investir em novas ideias, ou mesmo, em novos mercados e nichos que vão surgindo com o passar do tempo.

É claro que isso não significa que os empreendedores de sucesso não aproveitam bem o dinheiro que ganham. É certo que eles aproveitam bem a vida que os seus recursos podem proporcionar, mas eles também sabem que não devem jogar dinheiro pela janela e nem investir em negócios de alto risco. Afinal, não é fácil ganhar dinheiro mas é muito fácil perder ele por erros bobos.

     

    Eles têm metas grandes, claras e alcançáveis


Como você vai traçar um caminho se não sabe bem onde quer chegar? Você deve ter seu foco onde no ponto em que você quer chegar. É por isso que os empresários de sucesso tem como hábito traçar metas claras de onde querem estar em determinado período de tempo, de quanto querem ter em suas contas bancárias e dos resultados que querem obter com cada ação.

É claro que, principalmente no momento de traçar estas metas, é ideal que você tenha os pés no chão. Suas metas devem ser alcançáveis e seus objetivos possíveis de serem atingidos. Tenha sempre em mente, também, nesse momento, que você deve especificar uma meta clara e não algo abstrato em algum futuro desconhecido.

   

     Eles escolhem sempre agir

Um dos hábitos de empreendedores de sucesso é sempre escolher a ação. Isso não quer dizer que um planejamento estratégico ou um plano de negócios não sejam essenciais mas, estes empresários sabem que a ação é muito mais importante depois que o planejamento está pronto e não ficam presos nas planilhas e cadernos de estudos.

   

    Empresários de sucesso focam no que traz resultado

Talvez esta seja o maior dos hábitos de empreendedores de sucesso. Elas focam somente naquilo que traz resultado. Isso não quer dizer que eles acertem sempre ou que suas estratégias sempre trazem resultados rápido.

Quer dizer que eles sabem analisar e planejar ações com caminhos certeiros para o sucesso e sabem focar naquilo que vai trazer esses resultados para o seu negócio.

Uma vez que você aprenda a tomar esse caminho, você vai perceber que ele não tem volta. Todo o resto parece pequeno quando você começa a apontar suas estratégias para aquilo que realmente vai trazer resultados, esquecendo aquelas tarefas que trazem apenas números pequenos.



   Organização é o principal hábito deles

O dia de um empresário é curto. Se o dia das pessoas normais parece ter 24 horas, o de um empresário parece ter apenas 12. Isso porque, quem possui um negócio tem que executar diversas funções e tarefas durante um só dia. São muitas responsabilidades e, de que maneira é possível dar conta delas sem muita organização?

Por isso, um dos hábitos de empreendedores de sucesso é ter disciplina e organização durante todos os seus dias, todos os seus meses e todos os seus anos. Ter horários definidos para cada tipo de tarefa, saber delegar atividades, ter uma agenda com os compromissos listados, e todas as outras técnicas disponíveis para isso, são essenciais para quem deseja ter sucesso em seu negócio.


   
   Eles têm sede de conhecimento

A leitura é um hábito que beneficia a todos mas, no caso do empresário, este hábito traz ainda mais conhecimentos sobre as pessoas, estratégias e, principalmente, sobre o seu próprio setor de atuação. 

Por isso, a leitura é essencial para o sucesso. Ter sempre junto de você uma forma de se informar, tanto por livros quanto por jornais ou meios digitais, nos sites de notícias. 

Estar por dentro do que acontece no mundo é primordial para um empresário de sucesso manter o seu sucesso, ou para um empreendedor iniciante descobrir o seu próprio caminho para se tornar bem sucedido.



   Eles mantém seu foco no sucesso

Este hábito é o equivalente a manter seus olhos no resultado. E o resultado esperado é o sucesso, certo? Por isso, não só suas ações, mas também seus pensamentos devem estar voltados para o sucesso.

Quando você se habituar a pensar assim, em todas as situações você vai conseguir ver uma oportunidade. A busca pelo sucesso e por ver o que de bom cada situação pode trazer se torna um instinto e o objetivo final se torna mais fácil de ser alcançado.


 
  Empresários bem sucedidos têm uma boa rede de contato

No século passado Napoleon Hill já afirmava que somos o resultado direto das pessoas com quem nos relacionamos. Baseado nesta mesma ideia, o autor ainda dizia que devemos manter contato com pessoas que tenham objetivos parecidos os iguais aos nossos e que tenham uma visão parecida da vida.

 Isso equivale a dizer que, você deve ter uma rede de contatos desse tipo. Eles não vão ser, de forma alguma, seus concorrentes mas sim, companheiros de jornadas, que vão poder colaborar com ideias, soluções e com aquela mão amiga quando você precisar.


   Eles focam na solução

Sabemos que o cotidiano de um empresário não é um parque de diversões. A burocracia e a dificuldade de se lidar com o capital humano das empresas representam grandes desafios.

É por isso, que um dos hábitos de empresários de sucesso é focar na solução e não no problema. Essa prática torna o dia a dia um pouco mais simples, uma vez que o empresário, ao invés de ficar analisando o que deu errado em uma estratégia, vai analisar o que ele deve fazer para ter sucesso na próxima empreitada.

É claro que, somente este artigo não encerra todas as dicas e hábitos de empreendedores de sucesso. Existem tantas outras práticas adotadas por estes profissionais que seria impossível listar elas.

Entretanto, é válido dizer, que hábitos do tipo podem revolucionar, não só a vida profissional de um empresário mas, também, a vida pessoal. Por isso, vale a pena ficar atento ao que cada um destes empresários de sucesso têm a dizer em suas palestras, livros e vídeos.


* Este é um texto realizado pelo Blog do “Quanto Sobra”.

 



Matérias sobre empreendedorismo que você pode se interessar:

Dúvidas ao abrir um negócio
Como escolher um sócio

 

 

 

 

 



 

0

Empreendedorismo, Gestão pessoal

Os podcasts são perfeitos para inspirar e ensinar sobre qualquer assunto. E porque não adquirir mais conhecimento com notícias de empreendedorismo enquanto você está no trânsito, na academia, tomando um café, ou fazendo qualquer tipo de atividade que não vai tirar sua concentração?

É como se fosse um programa de rádio com conteúdo sob demanda. Você pode ouvir o que quiser, na hora que bem entender. Dá pra escutar os episódios diretamente do seu computador, ou baixar aplicativos no celular para ter acesso a todas às plataformas.

Confira as três dicas de podcasts sobre empreendedorismo e negócios que trouxemos pra vocês:


1- DIRETO DAS TRINCHEIRAS

Esse podcast é apresentado elo Ricardo Jordão Magalhães e tem assuntos relacionados com vendas, marketing, liderança, empreendedorismo e e-commerce. Os insights são práticos e podem ser aplicados facilmente.

Escute aqui  o podcast ou baixe no seu agregador.


2- MAN IN THE ARENA

Quando o assunto é podcast sobre empreendedorismo, Man in the arena é uma referência um podcast de entrevistas, onde três empreendedores (Miguel Cavalcanti, CEO e Founder da AgroTalento; Leo Kuba, CEO e Founder da Inkuba; e In Hsieh, Co-Founder da CBIPA) levam um convidado para falar sobre a experiência e crescimento do seu negócio, como por exemplo: Gui Telles (Uber), Cristiane Correa (autora do livro Sonho Grande) e Tiago Yonamine (Trampos.co). Além disso eles também dão indicações de livro e conselhos de gestão. O último episódio é de 2016, mas os ensinamentos ainda são atuais.

 

3- B9

Essa dica é dois em um. No portal do B9 existe mais que um podcast, e nós indicamos aqui o Braincast e o Código Aberto. O primeiro tem o foco mais voltado para a criatividade, tecnologia, cultura e negócios. Já o segundo possui episódios que falam sobre o futuro das mídias e das tecnologias. Com certeza da pra ficar por dentro de notícias sobre empreendedorismo acompanhando esses dois Podcasts.

Além dessas três dicas, você pode encontrar nessa plataforma outros podcasts sobre negócios que te interesse.



Notícias de empreendedorismo e gestão que você pode se interessar:

Como Bill Gates ensina sobre liderança revelando sua maior fraqueza
Ser esforçado vale mais que ser inteligente
Principais dúvidas ao iniciar um negócio próprio

0

Empreendedorismo, Gestão pessoal

Por mais que a empresa vá muito bem, com um crescimento bom e com boas contratações de clientes, será que ela não precisa de algo mais?

Geralmente o momento de parar, e aproveitar o que está sendo feito, é desvalorizado e enxergado como perda de tempo, tempo esse que poderia ser utilizado para tratar “problemas reais”.

O empreendedor não para nunca. Ele sempre tem algo para melhorar ou para segurar as pontas. Uma hora é crise, outra hora é a necessidade de uma inovação na empresa, que desgasta e acaba “comendo” o tempo dele.

E sem contar toda a dedicação com a empresa, ainda existem os desgastes pessoais, porque afinal, ninguém para de viver quando está tocando um negócio. “Não pode parar” é a frase que vem a cabeça sempre, mas já pensou que dar uma pausa pode ser necessário, nem que seja meia hora todo o dia?

Não adianta gerir o negócio e deixar de gerir a própria vida. Quando não tomamos conta de nós, a cabeça não funciona, e é sobre isso que o escritor Shirzad Chamine mostra em seu bestseller, Inteligência Positiva. Sua visão sobre a meditação é a partir de uma perspectiva científica e, segundo sua teoria, nós sabotamos a nossa mente, e isso nos impede de encontrar alternativas para crescer.

A nossa mente pode nos ajudar a pensar em saídas para situações difíceis, mas ela também pode nos sabotar, trazendo inseguranças e julgamentos, e assim, nos impedindo de arriscar e crescer, quando necessário.

É preciso exercitar a mente, como um músculo, para mudar a forma de pensar. E além disso, o autoconhecimento trás diversas vantagens para a elaboração de ideias e para a produtividade. O estado que a meditação proporciona faz com que a percepção dos dias mude. Assim a empresa continua com um crescimento alto, mas com um novo significado à passagem do tempo.

Esse exercício diário estimula a criatividade e o otimismo, o que também nos guia para soluções. O bem-estar contribui na solução de problemas, e o melhor de tudo: auxilia a se aproximar da felicidade. A preocupação com o resultado, com o final do processo, não podeedor está tendo.

Sempre existe a possibilidade de crescer e melhorar seu negócio, e ter uma vida mais equilibrada auxilia nesse e nos demais meios. E é claro que a meditação não vai ser dominada logo no primeiro dia. É todo um processo de criar um hábito que trará resultados positivos para o corpo, a mente, e a empresa.

Equilíbrio é o exercício de extrairmos a felicidade de cada hora do nosso dia. Em uma refeição eu posso gastar 20 minutos apreciando cada momento, o sabor, a textura do alimento. E é dessa forma que desenvolvemos um olhar diferente sobre o tempo que gastamos.

Com essa visão de equilíbrio, o empreendedor pode gastar 14 horas do dia com seu negócio, mas estando presente mental e emocionalmente nessas 14 horas. Para que o tempo flua com algo que te faça feliz.

Assim, continuamos a trajetória que leva nossas empresas a serem cada dia mais relevantes para o mundo, sem que a ansiedade e o stress cresçam na mesma velocidade.

Fonte: Endeavor

0

Empreendedorismo, Gestão pessoal

O que deve crescer primeiro: a empresa ou o empreendedor? A maioria das pessoas diria “a empresa, claro”. Mas o ideal é que aconteça um equilíbrio: empresa e empreendedor crescendo juntos, na mesma velocidade. À medida que o negócio se expande, o empreendedor, para acompanhar esse ritmo, precisa mudar a sua rotina.

Da forma com que ele interage com funcionários às tecnologias que dão suporte ao crescimento do negócio, tudo vai mudando. Isso implica adaptar-se para atender às necessidades do negócio em seus diferentes estágios. Assim, o empreendedor precisa saber como evoluir na mesma sintonia da empresa, passando de executor a gestor, de gestor a líder, e de líder a coach de outros líderes.

“Ninguém chega lá sozinho” é uma das frases mais famosas do ecossistema empreendedor. Ela vale ainda mais no estágio inicial do negócio, quando o empreendedor é mais executor e o crescimento começa a acontecer. Nesse momento, muita gente adota a filosofia do “eu mesmo resolvo”. Mas simplesmente não dá. Não é possível fazer tudo sozinho. Criar um negócio maior do que você mesmo significa também trazer mais pessoas para o seu lado — e dar a elas espaço para agir com autonomia. Em dado momento, será preciso trazer uma, duas, três, vinte novas pessoas. Nessa hora, o delegar será mais importante do que o “sair fazendo”.

As famosas três perguntas de Peter Drucker devem nortear esse momento:

O que estou fazendo e não precisa ser feito?
O que estou fazendo e poderia ser feito por outra pessoa?
O que estou fazendo e só eu mesmo posso fazer?
De gestor a líder, ou “gestor de gestores”
Um segundo momento crítico do desenvolvimento de uma empresa — e de seu empreendedor — é quando a equipe cresce de modo a formarem-se times de áreas diferentes. Cada departamento tem dois ou três funcionários, e o empreendedor já não consegue dar conta da gestão de tudo isso. Ou seja, ele precisa tornar-se gestor de gestores: liderar quem chega para tocar essas áreas.

É uma etapa difícil, pois implica descentralização, processo que costuma ser doloroso. Não se trata de simples desapego, mas de entender que, num dado momento, o empreendedor pode julgar que é hora de buscar novos desafios, sendo necessário que ele não esteja mais tão próximo da operação. Por isso, a pergunta determinante deste momento é:

Se você tivesse que se afastar da sua empresa hoje, ela sobreviveria?
O crescimento é o objetivo de uma empresa, essa fase é parada obrigatória. E existem indícios de que é chegado o momento de passar da gestão à liderança, aprimorando-se como gestor de gestores:

O empreendedor costuma entrar o tempo todo nas decisões, o que diminui a autoridade de outras potenciais lideranças;
Todas as decisões críticas dependem exclusivamente do empreendedor;
A equipe é formada por pessoas pouco questionadoras, que praticamente executam e não propõem.
Entre a constatação desses indícios e a saída do empreendedor da linha de frente que toca o negócio, leva algum tempo. Há casos em que o processo chega a durar um ano. Mas existem exemplos que mostram o caminho das pedras. A Contabilizei é um deles.

Líderes são os guardiões da cultura. E para tudo isso acontecer, o empreendedor, como líder, deve ser o primeiro guardião da cultura da empresa. Ele deve, obrigatoriamente, ter a visão da companhia na ponta da língua e também no coração, praticando-a no dia a dia, de modo a transmiti-las sempre para seus liderados.

Com o crescimento do negócio, chegará a etapa em que o empreendedor terá que se dedicar a construir confiança com seus liderados. Cercado de líderes funcionais — ou seja, especialistas em suas funções –, ele deverá aprimorar suas habilidades de liderança e de relacionamento, conversando, ouvindo e ensinando. Também deverá aprimorar processos internos e a infraestrutura de tecnologia para que a cultura seja preservada.

Assim, é hora de manter o pensamento no alto nível, de marcar encontros com investidores, de desenvolver uma visão disruptiva, de participar de eventos que podem gerar conexões importantes ou até de visitar uma feira de tendências fora do país, por exemplo.

Nesta etapa, não só o comando do empreendedor já estará dividido, mas o seu pensamento também.

São líderes de negócio que participam da estratégia, tomam decisões de alto risco e garantem que a operação do dia a dia esteja alinhada com os objetivos estratégicos da empresa. Em resumo: o empreendedor precisa de mentores. Eles vão ajudá-lo a desenvolver-se emocionalmente para as dificuldades dos relacionamentos que surgirão, e também para a preservação da cultura organizacional neste momento.

O caso de André Street, da Stone, ilustra bem essa etapa. Para ele, o empreendedor deve ser o Chief Meaning Officer da empresa, aquele que dá significado ao negócio. E isso está intimamente ligado à capacidade de se comunicar. É a partir da combinação da cabeça de um com a cabeça do outro que nasce uma coisa nova. É o momento da descoberta de possibilidades diferentes.

De acordo com André, o empreendedor deve ser forte e saber fazer os ”chamados”: “Tentamos isso aqui… mas chega!” ou “Tenta mais uma vez, vai por esse lado, ou por aquele…”. E ele enfatiza: “a melhor comunicação é o exemplo”. Principalmente em termos de cultura, que, segundo ele, é construída na base daquilo em que o “empreendedor diz que acredita e o que tolera, dando os exemplos por meio das promoções e demissões”.

André recomenda que o empreendedor contrate outros empreendedores, capazes de transformar a realidade, pensar em coisas novas. Também orienta a dedicar tempo para estudar benchmarks para o time, olhar para coisas novas, “criar uma tropa de elite”.

No dia a dia, o empreendedor vai ser um grande juiz: vai decidir tirar alguém, vai determinar para qual direção estão indo e também pregar para todo o time o porquê vocês estão indo nessa direção. Mas isso certamente fortalecerá a cultura — com o objetivo de consolidar o crescimento da empresa.

Tanto para a empresa quanto para o empreendedor, o crescimento é um processo cheio de desafios. Mas é da superação deles que resulta no real valor do negócio, bem como do desenvolvimento pessoal de quem se arrisca no ecossistema.

Fonte: Endeavor

0

Gestão pessoal

Se dissermos que estamos vivendo uma era de abundância, em que todos os grandes problemas da humanidade estão próximos de ser resolvidos, você acreditaria? Possivelmente não. Ao menos, não até ler o livro “Abundância: O futuro é melhor do que você imagina”, de Peter H. Diamandis e Steven Kotler.

No livro, os autores afirmam que a humanidade está adentrando um período de transformação radical em que a tecnologia tem o potencial de elevar substancialmente os padrões de vida globais. Diamandis e Kotler nos fazem refletir sobre alternativas viáveis para solucionar problemas atuais e a aceitar que “resolver problemas em qualquer lugar, resolve problemas em todos os lugares”.

A tecnologia é um mecanismo de liberação de recursos, e a escassez é, na verdade, apenas um contexto. Desse ponto de vista, algo é escasso apenas até que se desenvolva uma tecnologia que o torne abundante. É por isso que o seu smartphone é, hoje, muito mais poderoso e muito mais acessível do que um super-computador de 60 milhões de dólares vendido nos anos 60. Nos dias atuais temos uma geração de tecno-filantropistas, aquelas pessoas que podem fazer bilhões de dólares apenas com suas informações, alavancando tecnologias para trazer um impacto positivo para o mundo. Tudo isso se dá pelas tecnologias emergentes, que evoluem exponencialmente a cada ano. E é com esta abundância tecnológica que Diamandis e Kotler enumeram o que devemos ter pela frente nas próximas décadas: nove bilhões de pessoas com água limpa, alimentos nutritivos, moradia acessível, educação personalizada, assistência médica de primeira e energia abundante e não poluente.

O primeiro empresário do mundo a aplicar a ideia da linha de montagem em série e, assim criar uma indústria que revolucionou a forma de produzir bens no mundo, foi Henry Ford. Ele faleceu em 1947, como um dos homens mais ricos do planeta, e tinha menos acesso a recursos como eletricidade, água encanada, refrigerados e telecomunicações do que 99% dos americanos que hoje vivem abaixo da linha da pobreza. Em outras palavras, quase todos os pobres dos EUA hoje têm acesso a mais recursos do que o homem mais rico do país tinha há cerca de 50 anos.

No livro, a questão da abundância não é tratada no sentido de carros luxuosos, iates, mansões, ou proporcionar a todos uma vida de luxo. Abundância, aqui, significa proporcionar a todos uma vida de possibilidades e recursos. Essa vida de possibilidades, para os autores, passa primeiro pela sobrevivência básica (água, comida e moradia), depois por três áreas primordiais:

  • Energia
  • Educação
  • Informação/Comunicação

Para eles, essas três áreas combinadas rendem dividendos duplos. A curto prazo, aumentam os padrões de qualidade de vida. A longo prazo, abrem caminho para dois dos maiores criadores de abundância da história: especialização e intercâmbio.

“A energia fornece os meios de realizar trabalho. A educação permite aos trabalhadores se especializarem. A abundância de informação/comunicação, além de promover a especialização (expandindo as oportunidades educacionais), permite aos especialistas o intercâmbio de especialidades, criando assim o que o economista Friedrich Hayek denominou catalaxia: a possibilidade de expansão ilimitada gerada pela divisão de trabalho”, escreve Diamandis.

Por fim, no topo da pirâmide, estão outras duas áreas fundamentais: saúde e liberdade.

Já temos em nossas mãos tecnologia suficiente para fazer qualquer escritor de ficção científica de poucas décadas atrás ficar de queixo caído. O acesso que temos hoje em um smartphone oferece mais recursos de tecnologia do que o Presidente George Bush tinha há 25 anos atrás, comandando a maior nação do planeta ao fim da Guerra Fria. O livro Abundância enumera algumas inovações que já estão acontecendo, como os automóveis inteligentes da Google ou da Tesla, que não precisam de motorista e podem revolucionar o sistema de transportes em pouco tempo; ou como a produção de energia elétrica a partir de algas geneticamente modificadas, 30 vezes mais eficientes do que os biocombustíveis convencionais.

Otimismo é a palavra para o futuro. Para que essa mudança de paradigma ocorra, de fato, e seja acelerada para atingir cada vez mais pessoas, são necessárias drásticas mudanças no sistema educacional. Pensando nisso, Peter Diamandis uniu-se a Ray Kurzweil e fundou, em 2008, a Singularity University, uma universidade voltada para a aplicação de tecnologias exponenciais na resolução de grandes problemas globais. A universidade, que acabou virando praticamente um anexo da Google, estuda sobretudo biotecnologia e bioinformática, sistemas computacionais, redes e sensores, inteligência artificial, robótica, fabricação digital, medicina, e nanotecnologia.

É importante entender e saber que você pode mudar o mundo. Para se sentir motivado e entender como fazê-lo, o primeiro passo é ler “Abundância: O futuro é melhor do que você imagina”.

GPME Expansão e Estruturação de Negócios.
Fonte: Livro “Abundância: O Futuro é Melhor do que Você Imagina – por Peter Diamandis”

0

Empreendedorismo, Gestão pessoal

Você é inteligente ou esforçado? Daniel Schwartz, CEO do Burger King, adora fazer essa pergunta em entrevistas de emprego. E para ele existe uma única resposta certa.

“É surpreendente o número de pessoas que me dizem: ‘eu não preciso trabalhar duro, eu sou inteligente’. Sério? Humildade é importante”, disse Schwartz em entrevista ao The New York Times.

Antes de assumir o cargo mais alto da hierarquia do Burger King, o executivo que hoje também é responsável pela Restaurant Brands International – rede que gere o Burger King – teve uma rápida ascensão em empresas do setor financeiro. Schwartz acredita que o segredo está em se esforçar, e não apenas ser inteligente e que, se você quer mudar alguma coisa, você precisa estar no mercado e estar cara a cara com as pessoas. Não é questão de apenas pegar o telefone e dizer às pessoas que você precisa fazer diferente, é ir até lá e fazer. Se você realmente se dedica, esse é um grande investimento de tempo para você. As pessoas apreciam isso, e estarão mais abertas a te ouvir.

A genialidade está em se esforçar, e ser apenas inteligente não é o suficiente. Você precisa arregaçar as mangas e estudar possibilidades e agir. Porque sabemos que não existe substituto para o trabalho duro. É importante continuar a trabalhar para que seu hoje seja melhor que seu ontem. Fazer isso te fará crescer em qualquer campo ou área, porque, no fim das contas, sabemos que a alegria e satisfação de ter superado um desafio compensa todo o trabalho duro e qualquer cansaço e desgaste gerado pelo caminho percorrido

0

Gestão pessoal

Elogiar tornou-se um verbo quase proibido no mercado empresarial. A maioria dos empresários pensa que elogiar um funcionário pode fazer com que ele se acomode ou peça um aumento. Elogiar um fornecedor pode fazer com que ele aumente seus preços, reduza sua qualidade ou piore seu atendimento, julgando que o cliente já está garantido. O mesmo é válido para prestadores de serviços e demais parceiros. Certo? Errado!

0